Sobre Raposas e Lobos

Aventuras no sonhar: menina sem rosto

- Há quanto tempo nós nos conhecemos Princesa?

- Há muito tempo. O tempo passa diferente aqui nos teus sonhos.

- Eu quero dizer lá fora, no mundo desperto. Tens alguma idéia?

- Não faço a mínima idéia Bob. Mas por que isso agora baby?

- É que tenho passado muito tempo desperto e sabes que sinto muitas saudades de ti. Quanto mais tempo desperto, mais tempo fico sem te ver.

- Mimimi! Lá vem você com essas historinhas. Tu estás cansado de saber que detesto... Detesto quando tu começas com isso.

- Acho que não me fiz entender.

- Acho que não me fiz entender? Por que tu estás falando diferente assim Bob? Peraí? De onde veio tanto pelo? Tu ta parecendo... Um lobo!?!

- É assim que eu fico quando passo muito tempo desperto. Eu viro um lobo. É uma defesa.

- E desde quanto tu precisas te defender de moi?

- Deixa eu te mostrar uma coisa primeiro. Toma aqui.

- Que lindo, um espelho! É alguma indireta Bob?

- Talvez. Olha, veja se tem alguma coisa errada.

- Acho que exagerei no corte da franja. A minha pele também está horrível, mas nada que uns creminhos não resolvam.

- Tu não vês nada de errado!!!

- Não! Não enrola baby. Fala logo o que tu está querendo me falar!

- Não é nada. Deixa prá lá. Preciso despertar de vez agora. Adeus.

- Perai seu bobo... Tu não vai me deixar falando sozinha!

- Ela não percebeu?

- Ela não sabe Bond. Isto nunca fez mesmo diferença aqui no Sonhar.

- Olha guri, isso faria muita diferença pra mim sim! Vamos embora então, tem muita gente lá fora esperando pelos lobos aqui.

- Bob! Tu vai me trocar por esse bicho de pelúcia?

- Não vou trocar ninguém Princesa.

- Então?!

- Vou acordar...

Fin

Saudade

Saudade é um sentimento, mas é também uma palavra. Uma palavra que somente a língua portuguesa ousou representar. Pode parecer mentira, mas na Wikipedia existe um artigo inteiro que tenta passar para o leitor o significado da palavra saudade (http://en.wikipedia.org/wiki/Saudade).

Geralmente, a saudade está associada ao um sentimento de perda, é como querer ter perto uma coisa que nos é bem quista quando ela está distante, perdida ou, no pior dos casos, deixou de existir. Algumas pessoas, como eu, sentem saudades de coisas que não aconteceram, ou não existem, eu prefiro chamar de saudade do futuro. É uma sensação estranha e quase impossível de descrever.

Todos já sentiram ou estão sentindo saudade de alguma coisa, ou de alguém. Então não preciso explicar como é este sentimento.

O que motivou a escrever sobre saudade é a falta que uma pessoa me faz. Faz muito tempo que não falo com a Raposa e neste meio tempo eu sinto que a minha vida está voltando a desandar. Não que ela seja o motivo, mas ela me motiva a ser melhor, a não desistir, a batalhar e seguir em frente, como uma musa inspiradora.

A saudade que sinto dela não pode ser comparada a nada que vocês já tenham sentido. Não pode porque para mim a Raposa é um sonho, um sonho bom. Não se pode sentir um sonho, ou tocar nele, e muito menos lhe oferecer um café, no caso dela uma cerveja. E no momento, é como se eu simplesmente não conseguisse mais dormir.

Tem horas que encaro esta ausência como uma preparação para um futuro inevitável, mas uma mensagem de texto ou um breve telefonema restabelecem de volta a minha esperança.

Quisera eu poder ter oferecido um “presente” menos triste.

Depoimentos

Do lobo para a raposa

Ela me manipula;
Ela me faz chantagem;
Ela mente pra mim;
Ela me faz promessas e não as cumpre;
Ela não me cumprimenta quando passa por mim na rua;
Ela só me liga quando está bêbada;
E ela desmente tudo quando está sóbria.

Mas ela me instiga;
Ela me desafia;
Ela me provoca;
Ela me puxa pra cima;
Ela me desvenda;
Ela me desnuda;
Ela me critica;
Ela acredita em mim;
Ela confia em mim;
Ela me visita nos meus sonhos;
Ela me superestima;
Ela canta canções bregas pra mim;
Ela me ensina a ter paciência;
Ela me faz ter esperança;
Ela me adora;
E ela me ama.

Eu gosto tanto dela que às vezes dói.
Eu a adoro tanto que não tenho medo de ficar longe.
Eu a amo tanto, que a tenho como uma irmã.

Da raposa para o lobo

Gosto pq amo muito... pq me faz bem e pq é lindo!
Pq diz que posso ser sempre melhor...
Pq esta do meu lado a todo momento...
Pq é inocente e sábio;
Pq é doce e meigo, amigo verdadeiro;
Pq chega nas horas inesperadas...
Pq ouvi apesar de sentir;
Pq sente e aconselha;
Pq ajuda apesar de condenar;
Pq é fiel!
Pq me ajuda, ama e sente!
E sabe que é verdadeiro e mutuo!
Sem demais explicações.
Pq não vivo sem.
Pq é meu, sempre...
Sempre!
Apesar do depois que não vem...
Meu! Amigo amado eterno! Sempre...
Preciso dizer mais?

Aventuras no sonhar: Bola pra frente

Algumas pessoas, como eu, não são capazes de seguir em frente sem ficar de olho grudado no retrovisor, mas não é por questão de segurança. É que às vezes é mais fácil ficar encarando o que já se conhece do que enfrentar o novo.

– Ta grandão, hein Bob?!
– Tuuruuu… Eu quero você, como eu…
– EI BOB!
– O quê é Sr. Bond?
– Eu disse que tu ta grandão!
– Mas por quê?
– Ué, de iPod novo.
– Ah, isso. É só em sonho, no mundo desperto continuo com aquele discman MP3 podrão do Paraguai mesmo.
– Humm.
– Tuuruuu…
– O que tu estás ouvindo?
– ...Como eu quero…
– O QUE TU ESTAS OUVINDO, DROGA?!
– Uma música que me fez lembrar dela.
– Não acredito que depois de todo esse tempo tu ainda pensa naquela guria?!
– Não consigo evitar…
– O que essa música tem que te faz lembrar dela?
– Escuta só...

* Longe do meu domínio “cê” vai de mal a pior
Vem que eu te ensino como ser bem melhor

– Porra, mas que música brega!
– Será que tu podes respeitar as minhas coisas uma vez na vida?
– Ok, desculpa.
– É... Até parece ela falando contigo mesmo.
– Tá, mas não adianta ficar chorando pelo leite derramado.
– Humpf… Tens razão…
– Vem comigo, eu vou te pagar uma bebida.
– Tu sabes que eu não bebo.
– O sonho é teu, tomamos um [eca] suco de laranja então.
– Ah, que tal me falar da tua nova colega de trabalho, é verdade que…
– Tu não prestas mesmo!

*Kid Abelha, Como eu quero

Aventuras no Sonhar: Dor de cotovelo

Finais de relacionamentos quase sempre são desagradáveis, porém o modo como lidamos com eles, é que determina o quão maduro estamos, para lidar com o próximo final.

Aquela vez foi por pouco…

- Bob, mas que diabos você está fazendo ai embaixo dessa cama o dia todo?
- Eu quero sumir!
- Hummm… mulher de novo?
- Ela me deu um fora, disse que não me quer mais nem como amigo.
- Olha Bob, pelo que eu me lembre, você me falou que não sofreria mais por amor.
- Eu sei, mas não consigo mandar no meu coração.
- Isto é patético! Sai logo debaixo desta cama!
- Não vou, eu quero que todo mundo esqueça que eu existo.
- Toda vez é assim. Tu te apaixona por uma guria que não tem nada a ver contigo, não dá certo, e acabas te metendo debaixo desta cama até o dia que aparece outra guria “diferente”.
- Faz assim, da próxima vez, tu te esconde dentro de um armário, porque daí quando eu for te dizer pra sair de lá, o meu argumento vai condizer melhor com a tua atitude.
- Vai a merda!
- Isto! Raiva, atitude. É assim que eu gosto de te ver garoto.
- Tu te achas o “Lord Sith”, né Senhor Bond?
- Pra falar a verdade, estou mais pra Marquês de Sade.
- Hunf… Hunf… Pronto! Sai debaixo da cama.
- Agora me diz o que é que eu faço.
- Você eu não sei, mas eu estou indo dar uns pegas naquela cadelinha do vizinho.
- !!!

Aventuras no Sonhar: Desencontros

Algumas vezes temos a sensação de que alguém está nos evitando. O irônico é que nunca paramos para pensar se o sentimento é mútuo.

- Oi, aqui é o Bob. Posso falar com a Princesa?
- Sinto muito mas ela não está, queres deixar algum recado?
- Puxa, eu tentei sonhar com o celular dela, mas só recebo um aviso de que ele esta desperto!
- Bom, deixa pra lá, só diga que eu liguei então por favor.
- Pode deixar que eu digo pra ela sonhar contigo assim que adormecer.

...

- Oooiii Bob, parabéns!
- Aqui é o irmão dele, quem está falando?
- Ah, desculpe, o Bob está?
- Não, ele acordou e não disse quando sonharia de novo, e o celular dele está desperto também.
- Que pena, pode dizer que liguei pra dar os parabéns pelo trabalho novo dele?
- Pode deixar, mas quem é que está falando?
- É a Princesa.
- Oi, é contigo que o meu irmão sonha o tempo todo?
- Não sei, sonha?
- Claro que sonha, eu já até conversei contigo um dia desses, não lembra?
- Não, eu quase não sonho.
- Que pena.
- Bom, tenho que despertar, foi muito bom falar contigo, mesmo que corrido. Um beijo e até mais.
- Até.

Aventuras no Sonhar: Surpresas inesperadas

Definição redundante de surpresa: surpresa é quando uma coisa inesperada acontece quando menos se espera!

- Alô.
- Oi Bob.
- Oi! Poxa, pensei que tinhas te esquecido de mim.
- Ai Bob, como tu faz drama! Eu tava morrendo de saudades de ti.
- É que faz tanto tempo que tento falar contigo sem conseguir, que pensei que tu estavas me evitando…
- Exagerado… Agora me diz, por que eu te evitaria se é tu que não tem sonhado comigo!
- ...
- Se é pra tu ficares mudo eu desligo!
- Não! Desculpa. Por que tens estado tão ocupada pra não falar comigo.
- Festas de fim de ano, trabalho, essas coisas…
- Não vou desperdiçar essa conversa discutindo. Está tudo bem contigo?
- Ando meio cansada… Ah! Não gostei do que tu falaste do Bola!
- Bola?! Não falei nada de nenhum Bola!
- Então foi o Bonde que falou! Não importa, Eu… Não… Gostei… Não gostei! Entendeu? Não gostei!
- Tu ligou só pra brigar comigo?
- Não, é pra não perder o hábito!
- Olha, se falei algo que tu não gostou azar!
- Mas eu não gostei!
- Será que chove?
- Não muda de assunto!
- Isso não vai nos levar a lugar algum. Tu pensas diferente de mim e concordamos em tão pouca coisa que da pra contar com menos de um dedo em uma mão! Já te falei que não quero brigar contigo, é tão legal quando só ficamos falando um monte de bobagens ou discutindo sobre filmes e afins…
- ...
- Alô?!
- ...
- Hei, vai me deixar falando sozinho?!
- ...
- Foi alguma coisa que eu falei que tu não gostou?
- ...
- Desculpa por qualquer coisa, olha, sinto muito pelo Bola.
- ...
- Mas que saco!
- ...zzZZzzzZzz…
- ?!
- zzZZzzz… Zzzzz… zzrrrRRRRRrrrzzzz…
- !!!
- zzZZzzz…
- Não acredito nisso, tu estas dormindo?
- ...
- Definitivamente, tenho que parar de comer porcaria antes de ir dormir…

Aventuras no Sonhar: Conversando na chuva

Domingo passado acordei sentindo cheiro de chuva, mas lá fora estava quente como o inferno.

– Hei moça, está chovendo muito forte, vais acabar pegando uma pneumonia!
– Não me diga, baby.
– Vem, eu te dou uma carona até lá embaixo, cabem quatro debaixo desse guarda-chuva.
– Pensei que tu nunca irias me oferecer Bob.
– Bob?!
– ...
– Ah! Oi! Desculpa não ter te reconhecido.
– Desculpas aceitas.
– Pra onde estas indo?
– Pra aquela parada de ônibus ali.
– Eu não sabia que tu estudavas na UNISINOS também.
– Eu não estudo aqui.
– Então o que tu estas fazendo aqui?
– Me diga você, o sonho é teu!
– Sonho?!
– A tá! Tu achas que moi iria ficar passeando na chuva por ai. Faça-me o favor.
– Droga!
– Que foi agora Bob.
– Tu não estas usando óculos, é mesmo um sonho.
– E eu deveria estar usando óculos?
– Acho que sim. Tu me falou que não enxerga nada sem eles e que não podes usar lentes de contato. Que besteira, eu nunca te vi antes, tu provavelmente nem é assim.
– Assim como?
– Deixa pra lá.
– A não, agora tu vai falar.
– Eu nunca te imaginei antes, agora que sei que é um sonho, com certeza vou me lembrar quando acordar e vou ficar com uma imagem de ti na cabeça.
– Não viaja Bob! Ta, vamos mudar de assunto. É aqui que se pega ônibus pra Novo Hamburgo?
– Cuidado com a poça. É sim, mas aqui é o pinga, lá atrás é que fica a parada do direto. O que vais fazer lá?
– Não sei, já te disse, o sonho é teu.
– Então tu estás indo pro meu aniversário.
– Só em sonho Bob.
– É... Só em sonho.
– O que é aquilo lá no céu?
– Acho que vou acordar…
– Já estas fugindo de novo.

Potpourri

Ao contrário do que aconteceu em vezes anteriores, desta vez eu não desmoronei. Embora todas estas mudanças tenham ocorrido no intuito de fazê-la ter orgulho de mim, o único beneficiado até o momento foi eu. Por mais que velhos fantasmas soprem ao meu ouvido palavras de lamúria, e tentem me convencer a desistir como no passado, enquanto eu não tiver certeza de que não é amor, farei uso do benefício da dúvida.

É um pouco “mimimi”, mas diz o que se passa aqui dentro.

Potpourri pour la princesse
Bob

She confessed her love to me
Then she vanished
On the breeze
Trying to hold on to that
Was just impossible

She was more than beautiful
Closer to ethereal
With a kind of
Down to earth flavor

Close my eyes
It’s three in the afternoon
Then I realize
That she’s really
Gone for good

Anybody seen my baby
Anybody seen her around
Love has gone
And made me blind
I’ve looked but I just can’t find
She has gotten lost
In the crowd

So if you’re lonely
You know I’m here waiting for you
I’m just a crosshair
I’m just a shot away from you
And if you leave here
You leave me broken, shattered, I lie
I’m just a crosshair
I’m just a shot, then we can die

I know I won’t be leaving here with you

I say don’t you know
You say you don’t go
I say… take me out!

I say you don’t show
Don’t move, time is slow
I say… take me out!

Eu não existo longe de você
E a solidão é o meu pior castigo
Eu conto as horas pra poder te ver
Mas o relógio tá de mal comigo
Por quê? Por quê?

Eu possa dizer do meu amor (que tive):
Que não seja imortal, posto que é chama
Mas que seja infinito enquanto dure.

A distância não importa. Só o primeiro passo é difícil.

(Anybody Seen My Baby?, The Rolling Stones; Take Me Out, Franz Ferdinand; Fico Assim Sem Você, Adriana Calcanhotto; Um poema de amor, Vinicius de Moraes; talvez eu)